Teste de míssil hipersônico pela China ‘aumenta tensões na região’, dizem EUA

Míssil teria sido lançado ao espaço e contornado o globo terrestre antes de acelerar em direção ao alvo, tecnologia mais avançada que as norte-americanas.

Os Estados Unidos não receberam nada bem as informações de que a China teria testado com sucesso, em agosto, um novo míssil hipersônico com capacidade nuclear, como reportou inicialmente o jornal Financial Times. Nas palavras do secretário de Defesa Lloyd Austin, o novo armamento ajuda a “aumentar as tensões na região”, de acordo com a agência catari Al Jazeera.

“Estamos preocupados com as capacidades militares que a RPC (República Popular da China) continua a perseguir. Mais uma vez, a busca por essas capacidades aumenta as tensões na região”, disse Austin durante um encontro anual com lideranças da Coreia do Sul, no qual foram debatidas questões militares com foco sobretudo em China e Coreia do Norte.

Austin aproveitou para reforçar a aliança com países da região eventualmente ameaçados por Beijing, mensagem que pareceu endereçada a Taiwan. “Continuaremos a manter as capacidades de defesa e dissuasão contra uma série de ameaças potenciais da RPC a nós mesmos e aos nossos aliados”.

O míssil hipersônico teria sido lançado ao espaço, contornando o globo terrestre antes de acelerar em direção ao alvo em terra. Pessoas familiarizadas com a operação afirmam que a tecnologia coloca a China à frente dos EUA no que tange a armamentos hipersônicos, mesmo que o míssil tenha errado o alvo por cerca de 40 quilômetros. Beijing nega a informação e diz que os testes envolviam um veículo espacial reutilizável.

No encontro Washington e Seul também debateram a questão da Coreia do Norte, que igualmente tem realizado testes militares. Apesar de concordarem que a beligerância de Pyongyang “cada vez mais desestabiliza a segurança regional”, ambos adotaram um tome menos assertivo e disseram que a diplomacia é a prioridade no trato com o regime de Kim Jong-un.

Suh Wook, ministro de defesa sul-coreano, disse que os aliados compartilham o entendimento de que “a diplomacia e o diálogo baseados em compromissos anteriores entre as Coreias do Sul e do Norte, bem como entre Coreia do Norte e Estados Unidos, são essenciais para alcançar a paz permanente na Península Coreana”.

Em setembro, a Coreia do Norte afirmou ter testado com sucesso um míssil hipersônico chamado Hwasong-8, que a mídia estatal local classificou como “um dos cinco mais importantes” novos sistemas de armas estabelecidos em seu plano de desenvolvimento militar de cinco anos. A Referência

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: