Terremoto político na Irlanda do Norte faz Reino Unido e UE reviverem atrito do brexit

MICHELE OLIVEIRA
MILÃO, ITÁLIA (FOLHAPRESS) – Quando o nacionalista Sinn Féin foi confirmado, no último sábado (7), como o maior partido da Irlanda do Norte, especialistas falaram em abalo sísmico pela possibilidade, agora menos remota, de que as duas Irlandas possam se reunificar depois de cem anos. Os primeiros tremores, porém, foram causados por outro velho conhecido na região –o brexit.

Quase seis anos após o referendo e mais de dois anos depois da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), a disputa por 90 cadeiras da Assembleia regional de Belfast fez reacender a troca de farpas entre autoridades de Londres e Bruxelas, com o risco de que seja detonada uma guerra comercial entre as partes no meio de uma guerra de verdade em que ambas são aliadas.

A escalada, na última semana, começou logo após a vitória do Sinn Féin, que levou 27 cadeiras e se tornou, pela primeira vez na história, a maior força política do país, empurrando para o segundo lugar o Partido Unionista Democrático ..

Ler mais