Sindicato contrata infectologista para orientar escolas particulares na volta às aulas

O Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe Bahia) divulgou recomendações para que o retorno às aulas após o recesso seja mais tranquilo, em um momento que várias cidades baianas e o próprio estado registram aumento de casos da covid-19. Além disso, o sindicato informou que contratou a médica infectologista Fabianna Maranhão Bahia para dar suporte às escolas associadas, com reuniões semanais e atendimento para esclarecimento de dúvidas e ações sobre os protocolos de saúde.

O diretor do Sinepe Bahia, Wilson Abdom, diz que a ideia é apoiar os diretores das unidades de ensino para oferecer mais segurança à comunidade escolar, além de padronizar as ações em todas as escolas.

O sindicato reforçou as orientações básicas de saúde, recomendando uso de máscaras em locais fechados, que se evite aglomerações, lavagem das mãos e atualização das vacinas contra a covid e também contra a gripe. Cartazes com essas recomendações serão distribuídas na capital e no interior.

(Foto: Reprodução)

Volta às aulas
Com o fim dos festejos juninos na Bahia, as redes pública e privada de educação estão de volta. Na segunda-feira (4), os colégios estaduais já tiveram seu primeiro dia de aula do segundo semestre. Na rede particular, a maioria das escolas retorna nesta terça-feira (5). No entanto, em meio a alta do número de casos ativos de covid-19, que chegaram a 13 mil em todo estado no último domingo, as aulas não retornaram da forma que estavam antes do São João chegar. Uso obrigatório de máscaras, ampliação de ações e ferramentas para higiene pessoal e pesquisas diárias em saúde são algumas medidas já conhecidas por estudantes que voltam a vigorar nos ambientes escolares.

No interior, ao invés das medidas para ampliar a proteção, houve até o adiamento do retorno às salas. O início das aulas na rede municipal na cidade de Guanambi, no sudoeste da Bahia, foi adiado para a próxima segunda-feira (11). O motivo é o aumento no número de casos de covid-19 no município. Atualmente, a cidade tem 655 casos ativos da doença. Na capital baiana, porém, nada foi adiado e as escolas municipais voltaram a funcionar normalmente na segunda-feira com os protocolos que estavam em vigor antes das festas de junho.

No âmbito estadual, a estratégia é a mesma e os estudantes continuam em sala sob as mesmas medidas de proteção vigentes anteriormente. "As aulas da rede estadual de ensino retornaram, nesta segunda, após recesso junino, observando os decretos governamentais e os protocolos de biossegurança. […] Vale lembrar, que as escolas estão estruturadas e seguindo os protocolos de biossegurança desde que as aulas voltaram ao formato presencial, em 2021", informa a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (Sec).

Fonte: Correio 24hs

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: