Salvador deve receber vacina da Johnson: ‘Estamos em conversas avançadas’

Para Bruno, além da eficácia, a vacina apresentar 98% de eficácia, outros fatores estão sendo determinantes na escolha da Ad26VOCS2.S, como ela ser dose única.

O prefeito Bruno Reis (DEM) confirmou nesta terça-feira (5), durante evento no Stiep, em Salvador, que as conversas para adquirir a vacina contra a Covid-19 para a capital baiana estão avançadas.

Segundo o gestor municipal, é possível que Salvador receba a vacina Covid-19 Ad26COVS2.S, da farmacêutica Janssen-Cilag (divisão da Johnson & Johnson), que na avaliação do democrata é a melhor no mercado.

“Para a gente não importa a nacionalidade da vacina, o que importa é o reconhecimento os órgãos de fiscalização e que ela tenha eficácia. Estamos em conversas avançadas com a Johnson, na minha opinião é a melhor vacina que tem, por ter mais de 98% de eficácia”.

Para Bruno, além da eficácia, a vacina apresentar 98% de eficácia, outros fatores estão sendo determinantes na escolha da Ad26VOCS2.S. O prefeito afirmou que a farmacêutica ficou impressionada com o plano de imunização proposto pela capital.

“Ela é dose única, então facilita muito a logística. Segundo, ela pode ser armazenada na temperatura de -2 a -8º, todas as unidades nossas tem condições de armazenar a vacina. A Johnson está dizendo que não tem interesse comercial na vacina, tem interesse social”.

Apesar do avanço com a Johnson, a capital baiana mantem contato com outras farmacêuticas, no entanto, o prazo de entrega e a quantidade de vacinas vem dificultando a compra.

“Estamos conversando com a Moderna, a Sputnik, a da Oxford, o que dificulta esse processo de aquisição é a quantidade de doses. A Moderna dizia que tinha interesse em fazer a venda de 6 milhões de doses. Salvador não tem condições financeiras de comprar 6 milhões de doses. O maior dificultador (sic) é o prazo de entrega. A Moderna só tinha condições de entregar em outubro, não resolve o nosso problema”. Bahia.ba

Deixe uma resposta