Salvador deve contar com novo centro integrado de apoio às mulheres vítimas de violência

As mulheres vítimas de violência doméstica em Salvador devem contar com um centro especializado de atendimento, batizado de Casa da Mulher Soteropolitana. A informação foi divulgada pela nova secretária de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude de Salvador (SPMJ), Fernanda Lordelo, durante entrevista ao programa Isso é Bahia, na rádio A TARDE FM, na manhã desta sexta-feira, 15.

Ainda sem data para começar a funcionar, o novo serviço é uma das ações do plano de governo desenvolvido pela prefeitura. “Na Casa (da Mulher Soteropolitana), a gente vai buscar atender, de forma humanizada, as mulheres em situação de violência e integrar o sistema de justiça, com o juizado especial, Ministério Público, Defensoria Pública e as Deams (Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher)”, afirmou.

A ideia, segundo Fernanda Lordelo, é a de que o centro especializado sirva de alojamento para estas mulheres, com apoio psicossocial, inclusive para os filhos, e serviços de capacitação da mulher para busca da sua autonomia econômica.

Questionada sobre a exposição das vítimas, com a divulgação de endereços de abrigos e centros especializados, a secretária acredita que o trabalho conjunto, com atuação do MP, Defensoria e todos os outros órgãos, vai garantir uma proteção adicional à mulher. “São pontos que precisam ser tratados com muita cautela, porque, muitas vezes, a ausência do sigilo devido gera a morte da mulher. O diálogo especializado com estes setores faz com que a gente crie alternativas de segurança para estas mulheres”.

Aumento da violência

Os dados da violência doméstica, especificamente no período da pandemia da Covid-19, ainda são desencontrados, mas se acredita em um aumento significativo, uma vez que a mulher está em situação de confinamento com os agressores.

“Alguns índices vêm de reportagens, mas sem dados específicos. Os centros de referência, por exemplo, não tiveram um aumento tão significativo e a base da Secretaria é o centro. Entretanto, pela própria condição de confinamento, as relações humanas ficaram mais sensibilizadas. Então, há, sim, uma predisposição de registros neste sentido”, concluiu.

Onde Denunciar

– Disque 180

– Delegacia Especial de Atendimento à Mulher – Brotas (71) 3116-7000

– Delegacia Especial de Atendimento à Mulher – Periperi (71) 3117-8203

Deixe uma resposta