Rapper que operava rede de prostituição é condenado

O produtor musical e rapper Mally Mall, 45 anos, foi condenado na quinta -feira (13/05) a 33 meses de prisão. Ele foi acusado de operar uma rede de prostituição durante 12 anos. O Ministério Público de Nevada informou em comunicado que Mall atuou no negócio criminoso entre abril de 2012 e setembro de 2014.

O produtor, que já trabalhou com Justin Bieber, Usher e Tyga, “explorou centenas de vítimas” por meio da manipulação, “impondo regras e fazendo ameaças para que elas continuassem se prostituindo em nome dele”.

Os promotores também disseram que o criminoso “encorajou as vítimas” a tatuarem referências a ele em seus corpos para demonstrar lealdade, e “levou muitos delas a acreditarem que ele as ajudaria em suas carreiras no show business”. Em 2010, Mall confessou ser culpado. No tribunal, disse que não se envolveu em nenhuma atividade criminosa desde 2014, segundo informou o Las Vegas Review-Journal.

“Eu realmente peço desculpas ao tribunal, ao governo e, mais importante, às mulheres envolvidas”, afirmou. Os advogados do rapper tinham pedido uma sentença de dois anos, mas a juíza o caso impôs a pena máxima, além de três anos de supervisão após a prisão.

Richard Schonfeld, advogado do produtor, disse à People em comunicado que Mall “aceitou a responsabilidade total por sua conduta que ocorreu há quase uma década”. “Ele cumprirá sua pena e espera retornar à indústria musical”, acrescentou. Informe baiano

Deixe uma resposta