Polícia cumpre mandados de busca e apreensão na sede do Cruzeiro.

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×

A Polícia Civil de Minas Gerais realiza mandados de busca e apreensão nas dependências do Cruzeiro Esporte Clube e nas residências de dirigentes e agentes ligados à cúpula na manhã desta terça-feira (9).

Os agentes foram à sede administrativa, aos dois centros de treinamentos (Toca da Raposa I e Toca da Raposa II), à sede da Máfia Azul (torcida organizada) e às sedes das empresas IMM Assessoria e Consultoria Esportiva (ligada a Itair Machado) e Status Assessoria (ligada a Sergio Nonato dos Reis).

Também há mandados de busca e apreensão nas residências do presidente do clube Wagner Pires de Sá, do vice de futebol Itair Machado, do diretor-geral Sergio Nonato dos Reis, dos agentes Carlinhos Sabiá e Ângelo Pimentel e do empresário Cristiano Richard, responsável por emprestar R$ 2 milhões aos mineiros em março do ano passado.

Em 26 de maio, foi divulgado pelo “Fantástico” (TV Globo) que a polícia abriu investigação após denúncias de lavagem de dinheiro, falsidade de documentos e falsidade ideológica.

As autoridades investigam uma denúncia de que o clube tenha cedido percentuais de dez jovens -menores de 18 anos- das categorias de base para quitar uma dívida de quase R$ 2 milhões com um empresário. Além de ser considerado crime negociar o trabalho de um menor de idade, o repasse de direitos econômicos de atletas é proibido pela Fifa.

Em abril, o jornal Folha de S.Paulo noticiou que o Cruzeiro é o clube que mais acumulou débitos com a União (trata-se de Imposto de Renda, débitos tributários e previdenciários, PIS, Cofins, FGTS, INSS e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), mesmo depois de o governo federal perdoar dívidas milionárias entidades esportivas com o Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro. São R$ 17 milhões em situação irregular, inscritos em setembro de 2018, na Dívida Ativa. O passivo, que inclui débitos em situação regular (esses parcelados ou em discussão judicial), do clube mineiro com a União é de R$ 54,8 milhões de acordo com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Em nota, a diretoria do Cruzeiro disse apoiar as investigações, mas lamenta que as operações ocorram às vésperas das quartas de final da Copa do Brasil, que o time celeste começará a disputar na quinta-feira (11), em confronto de ida com o rival Atlético-MG..

“O Clube informa que entregou às autoridades toda a documentação solicitada para a investigação. […] O Cruzeiro Esporte Clube informa que continuará à disposição das autoridades competentes para quaisquer tipos de outros esclarecimentos necessários”, diz o texto.

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×