“Podemos estar caminhando para um futuro de retrocessos”, diz Ireuda Silva

Vereadora manifesta preocupação com as diferenças sociais causadas pela pandemia.

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de Salvador, a vereadora Ireuda Silva (Republicanos) demonstrou preocupação com a atual geração de jovens, sobretudo as mulheres e os negros, em meio à crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), mulheres, negros, chefes de família e pessoas sem instrução são os mais prejudicados pela falta de trabalho e instrução.

De acordo com o levantamento, 25,52% dos jovens com idades entre 15 e 29 anos não trabalhavam nem estudavam no quarto trimestre de 2020. Entre as mulheres, o percentual é de 31,29%. Já pretos e pardos foi de 29,09% e 28,41%, respectivamente. Pessoas sem instrução representam 66,81%.

“É possível que estejamos diante de uma geração perdida, que vai sofrer no futuro as consequências dessa conjuntura tão problemática. É preocupante, principalmente porque podemos estar caminhando para um mundo em que as diferenças entre homens e mulheres, pretos e brancos, pobres e ricos, sejam ainda maiores. Mas não podemos admitir retrocessos. Mais do que nunca, os grupos sociais mais vulneráveis devem ser prioridade nas medidas para conter os efeitos da crise e planejar o futuro”, defende Ireuda.
 Fonte da notícia: Assessoria da vereadora

Deixe uma resposta