‘Pode botar quem quiser, não tem ruptura institucional”, diz Mourão sobre troca de comandantes das Forças Armadas

O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), negou qualquer risco de ruptura institucional com a troca dos comandantes das Forças Armadas. 

Em conversa com o jornal Folha de S. Paulo, nesta terça-feira, 30, Mourão defendeu as mudanças. Quando perguntado se a saída dos militares representava algum tipo de ruptura, o vice-presidente foi enfático: 

‘’Zero. Pode botar quem quiser, não tem ruptura institucional. As Forças Armadas vão se pautar pela legalidade, sempre”.

Para o vice, o país precisa focar no o combate à pandemia.

Reforma ministerial

Ao todo, nesta segunda, 30, o governo federal anunciou seis mudanças na Esplanada dos Ministérios.

Braga Netto, que estava na Casa Civil, foi para o Ministério da Defesa;

Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, foi para a Casa Civil;

Deputada Flávia Arruda (PL-DF) assumiu a Secretaria de Governo;

Delegado da PF Anderson Torres, que trabalhava no governo do Distrito Federal, foi para o Ministério da Justiça;

André Mendonça, que estava na Justiça, foi para a Advocacia-Geral da União;

Carlos Alberto Franco França, assessor especial da Presidência, assumiu o Ministério das Relações Exteriores. A Tarde

Deixe uma resposta