Pedro, eliminado, aponta o ‘BBB 17’ como o game mais difícil que jogou

“Game over” para Pedro Falcão no “Big Brother Brasil 17”. Com 71,71% dos votos, o gamer paulista deixou o programa no sexto paredão. Em uma semana cheia de reviravoltas com muro e falsa eliminação, ele disputou a preferência do público com Marinalva e Emilly. Nos Estúdios Globo, na Zona Oeste do Rio, Pedro conversou com a imprensa pouco depois de sua eliminação. Confira alguns dos assuntos:

Jogo: Pedro: “O ‘BBB 17’ foi facilmente o jogo mais difícil que já joguei. Olha que já joguei uns bem cabeçudos, inclusive o golpinho (brincadeira que preenchia a noite dos brothers na casa), que era bem difícil. A gente trabalha com informações falsas, escondidas ou incompletas. No videogame a gente tem uma noção um pouco melhor do que acontece, mas nesse caso foi mais difícil conseguir prever as coisas. Eu fiz o que eu sabia fazer. Sou um jogador nato. Sei mexer com lógica, estatística, mas a gente esquece que o jogo lá é com humanos e não máquinas. Mas não me arrependo de absolutamente nada”.

Convivência: “O Rômulo me ensinou muita coisa. A Vivian também, por ser trabalhadora. No caminho pra cá, pra entrevista, pessoas vieram criticar a Roberta mas ela é um doce. Ainda tem muito a aprender. É uma pessoa de 20 anos na televisão… O próprio Ilmar é legal, mesmo tendo me colocado no paredão. Ele tem ideias próximas às minhas. Mas, às vezes, a forma com a qual ele colocava não era a que eu concordava. Dialoguei muito lá dentro. Vivi uma grande história, pessoalmente falando. Achava que ia sair na primeira semana. Foi uma vitória ter chegado aqui”.

Emilly: “A única ferramenta que você tem pra julgar as pessoas são o que elas levam pra casa. Os meus ideais às vezes não batiam com a forma que ela conversava com as pessoas ou em questões pequenas como estalecas e a forma como ela tratava o Marcos. E na televisão, a galera gosta desse drama. Na segunda, a gente sacou rápido que ela estava lá dentro ainda após a falsa eliminação. Meu voto foi o último pra mandar ela pra lá e quis mantê-lo pra seguir minhas convicções. Já tinha votado nela antes e não tinha por que mudar”.

Torcida: “Agora, vou torcer mesmo para o Daniel, que é um cara super simples e tranquilo, pra Rô, Vivian e Rômulo”.