DestaquesMundo

Papa Francisco destitui bispo americano crítico ao acolhimento católico à comunidade LGBTQIA+

O papa Francisco destituiu o bispo norte-americano Joseph Strickland de sua diocese localizada no Texas, nos Estados Unidos. Strickland é um renomado católico conservador que vinha criticando repetidamente o papado de Francisco, especialmente os acenos à comunidade LGBTQIA+. O norte-americano havia sido nomeado pelo papa Bento XVI, morto em 2022.

A destituição foi confirmada em nota pelo Vaticano neste sábado, 11. "O Santo Padre dispensou Joseph E. Strickland do governo pastoral da diocese de Tyler (EUA)", afirmou o Vaticano em comunicado.

A dispensa é rara, segundo especialistas. Normalmente os bispos são afastados ou orientados a renunciar. A destituição é a última medida, quando o religioso se recusa a fazer o pedido.

A decisão incomum foi tomada depois que Francisco enviou dois bispos norte-americanos à diocese de Strickland, no Texas, em junho. O Vaticano não informou as razões da visitação apostólica nem as conclusões dos bispos. Segundo a agência Reuters, a ação fez parte de uma investigação sobre a gestão financeira da diocese.

O papa argentino vem adotando medidas para tornar a Igreja mais inclusiva e aberta. Durante uma reunião dos padres jesuítas em Lisboa, o pontífice lamentou a "atitude fortemente reacionária" de alguns católicos. Também declarou que "voltar ao passado é inútil", sendo necessário "entender que existe uma evolução apropriada na forma de abordar os temas da fé e da moralidade".

A postura enfrenta a oposição de setores mais conservadores, que acusam o pontífice de 86 anos de contrariar as principais crenças católicas, principalmente com relação ao aborto.

Os críticos também condenam o excesso de tolerância com a comunidade LGBTQIA+ e pessoas divorciadas. Os Estados Unidos são o principal polo de resistência.

No início deste ano, em uma mensagem na rede social X, antigo Twitter, Strickland acusou o papa de "minar o depósito da fé". Em setembro, o bispo comentou os rumores de que estava sendo encorajado a renunciar. O próprio Strickland havia tornado pública as visitas dos bispos do Vaticano.

"Não posso renunciar ao meu cargo de bispo de Tyler porque isso significaria abandonar o rebanho que está aos meus cuidados", escreveu. "Respeito a autoridade do papa Francisco se ele me destituir dos meus poderes como bispo de Tyler."

A diocese de Tyler, que possui mais de 120 mil católicos em uma população de cerca de 1,4 milhão de habitantes, de acordo com a Conferência Episcopal Católica dos Estados Unidos, confirmou a destituição.

O bispo de Austin, Joe Vasquez, foi nomeado administrador apostólico da diocese. "Nosso trabalho como Igreja Católica no nordeste do Texas continua", informou a diocese de Tyler. Strickland não fez comentários sobre a demissão. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

Fonte: Notícias ao Minuto

Deixe um comentário