Não foi a primeira vez: novas revelações sobre duplo homicídio do Atakarejo

A tentativa de homicídio contra uma adolescente ocorrida no Nordeste de Amaralina, no dia 4 de outubro do ano passado, pode ter relação com um furto praticado momentos antes no supermercado Atakarejo, no bairro do Amaralina, em Salvador. Assim como o caso recente que envolve o duplo homicídio de Bruno e Ian Barros da Silva, ocorrido em 26 de abril desse ano, a vítima teria cometido o mesmo crime e foi entregue a facção Comando Vermelho (CV), que promoveu a tortura na localidade do Boqueirão (veja aqui).

A jovem foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE) com um ferro enfiado no corpo. No dia da ocorrência, o Informe Baiano noticiou o caso (veja aqui), mas na época não havia nenhuma suspeita de envolvimento de funcionários do estabelecimento.

A reportagem mostra uma foto no local da ocorrência e detalha que dez homens participaram da covardia no ‘Quartel General’ da organização criminosa. Sob anonimato, a adolescente confirmou o caso ao IB.

A vendedora ambulante Elaine Costa Silva, 37 anos, mãe de Ian, que era sobrinho de Bruno, disse ao IB na manhã desta terça-feira (04/05), durante uma reunião na Assembléia Legislativa da Bahia (ALBa), que a jovem também foi levada para o “quartinho da tortura” do supermercado e “passaram até a faca no braço dela”. “Ela conseguiu sobreviver pela honra e glória do Senhor. Saiu no Informe Baiano, aqui o print”, acrescentou. Informe baiano

Deixe uma resposta