Mulheres vencem as principais categorias no Sundance

A Sundance, maior festival de cinema independente dos Estados Unidos, revelou seus vencedores neste domingo (3),  após dez dias de evento. Entre os 23 filmes premiados nas 28 categorias em Park City, em Utah, mais da metade (57%) foi dirigida ou co-dirigida por uma ou mais mulheres – seis dos oito ganhadores de melhor filme e documentário são mulheres.

Entre eles, “Clemency”, dirigido pela nigeriana Chinonye Chukwu, levou o principal prêmio do festival. No longa, Alfre Woodard interpreta uma carcereira responsável por aplicar as penas de morte que se conecta a um preso prestes a ser executado.

Na categoria mundial, o vencedor foi “The Souvenir”, de Joanna Hogg, que trata de uma jovem cineasta na década de 1980 que deixa sua carreira de lado por causa de um homem.

“One Child Nation”, documentário de Nanfu Wang e Jialing Zhang que fala sobre a política chinesa de controle populacional, foi premiado na categoria americana, enquanto “Honeyland”, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov levou a categoria mundial. O filme, que conta a história da última apicultora da Europa que precisa proteger o seu ganha pão, também foi premiado pelo impacto social e pela fotografia.

Outros destaques foram “The Last Black Man in San Francisco”, de Joe Talbot, que levou os prêmios de direção e colaboração criativa e “Share”, de Pippa Bianco, premiado pelo roteiro e atuação de Rhianne Barreto.

Apesar de acontecer no começo do ano, Sundance pode ser um prenúncio dos melhores filmes do ano -foi neste festival que apareceu “Me Chame pelo Seu Nome”, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado e indicado a melhor filme na premiação.