Justiça cassa mandatos de vereadores de Uauá por fraude à cota de gênero

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anulou, em sessão plenária realizada nesta terça-feira (21), os votos recebidos por todos os candidatos registrados pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) ao cargo de vereador do município de Uauá, no norte da Bahia, nas Eleições de 2020. O PDT concorreu com 15 candidatos, quatro foram eleitos e tiveram os mandatos cassados após decisão do TSE, ocorrida por conta de fraude à cota de gênero.

O Plenário determinou a cassação dos diplomas dos candidatos eleitos, o recálculo dos quocientes eleitoral e partidário, bem como o imediato cumprimento da decisão independentemente da publicação. Por unanimidade, o Colegiado acompanhou o voto do relator, ministro Benedito Gonçalves, que acolheu o pedido de impugnação de mandato eletivo ajuizado pela coligação Uauá Seguindo em Frente e pelo diretório municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

A Corte reconheceu que houve fraude à cota de gênero no registro de Carla Daiane da Silva Capistrano ao cargo de vereadora pelo PDT, caracterizado pela inexpressiva votação, ausência de movimentação financeira e a quase inexistente campanha eleitoral própria, uma vez que a candidata fez campanha explícita para outro candidato.

Segundo o relator, tais procedimentos demonstram que, desde o início, a candidatura se constituiu em clara e contundente fraude à cota de gênero. “A imprescindível observância às regras do princípio da igualdade entre homens e mulheres nos pleitos eleitorais requer que as candidatas do sexo feminino desenvolvam suas próprias campanhas, não podendo ser alçadas à condição única e exclusiva de meros cabos eleitorais de candidatos do sexo masculino”, enfatizou.

O ministro Benedito Gonçalves reiterou que a jurisprudência da Corte Eleitoral exige que a prova de fraude na cota de gênero seja contundente e leve em conta a soma das circunstâncias fáticas do caso. “Os elementos são suficientemente robustos para demonstrar que houve fraude à cota de gênero”, afirmou.

O presidente do partido na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Júnior, anunciou que será realizada uma intervenção no diretório municipal do partido em Uauá após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Nós não podemos admitir no tempo de hoje que ainda exista chapa de mulheres como laranja, que é o que está acontecendo lá. As mulheres precisam participar da política da forma correta e não para encher as vagas e satisfazer a oposição legal", declarou. O diretório está suspenso até averiguação do episódio.

A reportagem tentou contato com a Câmara Municipal de Uauá, mas não obteve sucesso.

Fonte: Correio 24hs

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: