Jogadores da Seleção Brasileira irão disputar a Copa América

Mesmo sob protesto, grupo optou por jogar a competição, que começa no dia 13.

Líder das Eliminatórias com 100% de aproveitamento em cinco rodadas, a Seleção Brasileira enfrenta o Paraguai nesta terça-feira (8), às 21h30 em Assunção, mas a partida é o que menos chama a atenção. Toda a expectativa está voltada para o que será dito pelo grupo após o apito final. Apesar da insatisfação com a disputa da Copa América no Brasil, os jogadores decidiram disputar a competição, mesmo sob protesto.Provavelmente após o duelo com o Paraguai, será divulgado um comunicado do grupo. Segundo o site ‘Ge’, os jogadores comunicarão que irão disputar a Copa América, que começa no dia 13, mas também farão um manifesto criticando a organização de uma competição em meio à crise sanitária no país por causa da pandemia de Covid-19.

Desde o anúncio da Copa América no Brasil, semana passada, o clima na Seleção era de irritação, principalmente com a forma como o presidente da CBF, Rogério Caboclo, conduziu. Existia a possibilidade de boicote à competição, mas como não houve amplo apoio de outras seleções e, principalmente, com o afastamento do dirigente por 30 dias, por acusação de assédio a uma funcionária da entidade, a situação melhorou.
[object HTMLDocument]Com o afastamento de Caboclo, a partida contra o Paraguai também não deve ser mais a última de Tite. O treinador, que tinha grandes chances de sair por ter apoiado os jogadores e irritado o dirigente, agora tem o apoio dos vices que cuidam da transição na CBF e querem a permanência dele.

Já o presidente afastado da CBF corre o risco de não mais voltar ao cargo. Ainda mais depois da divulgação pela TV Globo de gravações, incluídas no processo no Conselho de Ética da CBF, em que confirmam o assédio à funcionária. Em determinado momento, Caboclo pergunta para ela: “Você se masturba?” Além disso, a reportagem ainda diz que a defesa do dirigente ofereceu um acordo de R$ 12 milhões para ela não ir adiante com as acusações, o que não foi aceito pela funcionária. O Dia

Deixe uma resposta