Escolas municipais retomam aulas com segurança para alunos e trabalhadores da rede

“Quero aprender a escrever as letrinhas. A pró disse que vai me ensinar”. Com o sorriso escondido pela máscara, mas com o olhar esperançoso, o pequeno Enzo Silva, de 5 anos, falou sobre a vontade de aprender a ler e escrever, no retorno às aulas nesta segunda-feira (3). Após um ano e dois meses longe das salas de aula, os estudantes da rede municipal de Salvador, retornaram às escolas, em sistema de rodízio. Desde março de 2020, quando começou a pandemia do coronavírus, a Secretaria Municipal da Educação (Smed) adotou protocolos de segurança sanitária como forma de evitar o risco de contaminação da Covid-19.

A diretora da Escola Municipal Guerreira Zeferina, Ana Beatriz de Lima, destacou a esperança na retomada das aulas presenciais. “Eu tenho que acreditar que vai dar certo. A unidade escolar, seja ela onde for, é de extrema importância na vida de uma criança. Todo processo educativo acontece na união entre família e escola. Só a família não dá conta”, disse.

Fotos: Igor Santos/Secom

A gestora ressaltou, ainda, os desafios do retorno às aulas, após mais de um ano de ensino remoto. “O que dá vida à escola são os alunos, então para a gente é um desafio muito grande esse recomeço. A preocupação existe, mas a gente está seguindo todos os protocolos e o plano emergencial feito pela gestão. Estamos respeitando o adensamento, que é um planejamento operacional feito pela Secretaria, junto com a diretoria de cada escola para que a gente possa seguir o protocolo de segurança”, afirmou. 

Aos estudantes das escolas municipais, estão sendo ofertadas aulas diárias em três canais de TV aberta e atividades mediadas pelos professores. Entretanto, o secretário municipal de Educação, Marcelo Oliveira, reforçou a necessidade da retomada das aulas presenciais para evitar danos ainda mais graves para o aprendizado dos alunos.

“O ensino exclusivamente remoto não atende às necessidades dessas crianças. Precisamos da presença física do professor. Nós já perdemos dias de aulas demais. Um ano e dois meses com as escolas fechadas é intolerável. Nós tínhamos que voltar o mais rapidamente possível”, alertou.

O titular da Smed explicou sobre os protocolos de segurança adotados. “Serão no máximo 15 alunos por turma, com todas as condições sanitárias atendidas, com protocolos de segurança, adaptações necessárias que foram feitas na estrutura da escola para este momento de pandemia. Já foram vacinados 80% dos professores, apenas aqueles com menos de 40 anos, público pouco vulnerável às formas mais graves da doença, que ainda não foram imunizados. Quando os pais chegam eles conseguem ver, eles podem testemunhar esse cuidado que tivemos na elaboração desses protocolos. Então, claro que isso vai estimular outros pais a trazerem seus filhos de volta para escola”, afirmou Oliveira.

Expectativa – Entre os pais dos estudantes, a expectativa para o retorno das aulas também era grande. Genesi Silva Santos, pai de Wesley Santos, de 5 anos, e Walison Santos, de 2 anos, comentou sobre a diferença de aprendizado e interação nas salas de aula. 

“Meus filhos são autistas, eles precisam do ensino adequado. As aulas voltaram com cautela e segurança. O momento é crítico, precisamos estar atentos, mas os protocolos estão sendo cumpridos. A expectativa é grande, não víamos a hora de eles poderem interagir com outras crianças, sabemos o quanto isso é importante para o desenvolvimento deles. Agora eles vão ter oportunidade de compartilhar momentos, conviver, socializar e se desenvolver”, disse.

Já Valdineia Cerqueira, mãe de Isabelle Vitória, de 4 anos, ressaltou a importância da adaptação ao novo normal. “Apesar de ser tudo muito diferente, vamos ter que aprender a conviver com isso. Eu estou achando bom. Percebi que todos os protocolos estão sendo cumpridos e isso me deixou segura. Eu sou dona de casa, tentei ajudar na alfabetização dela, durante esse período, mas não se compara às atividades da escola. Aqui, o aproveitamento vai ser bem melhor.”

Orientações:

Para atravessar este período com mais segurança e tranquilidade, a Smed orientou pais e alunos e instituições de ensino sobre os cuidados necessários para a retomada:

-A entrada na escola estará temporariamente suspensa para os pais ou responsáveis. Apenas estudantes e funcionários poderão ter acesso ao espaço, com o intuito de proteger a saúde de todos;

-Todos devem lavar as mãos com água e sabão ou fazer uso do álcool a 70%;

-O uso de máscara é obrigatório;

-É proibido o compartilhamento de objetos de uso pessoal, copos, pratos, talheres, alimentos ou bebidas, com outras pessoas;

-Ao espirrar ou tossir o estudante não deve usar as mãos para cobrir o rosto e sim a parte interna do braço;

– Esteja atento às reações do estudante nesse período. É normal que ele se sinta triste e confuso. Mostre que a segurança dele está em primeiro lugar;

– Se o estudante estiver doente ou com temperatura superior a 37,5°C, não deve ir à escola. Procure ajuda médica.

-Dentro da sala de aula é preciso obedecer às marcações e fora da sala de aula manter sempre uma distância mínima de 1,5m entre todos.

SECOM – Secretaria de Comunicação

Deixe uma resposta