Duda Sanches defende retomada da educação e critica APLB: ‘Professores querem trabalhar’

A retomada da educação de forma semipresencial na capital baiana nesta semana não tem contado com a adesão dos professores, que voltaram apenas de forma parcial com cerca de 90% de ausências, de acordo com o sindicato da categoria.

O impasse da Prefeitura de Salvador com a Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção Bahia (APLB/BA), que defende o retorno apenas após aplicação em 2ª dose da vacina contra o coronavírus, tem acirrado os ânimos sobre o assunto e uma nova reunião foi convocada na noite da última quarta-feira, 5, sem um consenso definido.

Em entrevista para o programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM (103.9), o vereador e vice-presidente da Câmara Municipal, Duda Sanches (DEM), criticou o que definiu como “politização” do tema feita pelo sindicato dos professores, que, segundo ele, estaria manipulando a categoria para conseguir pleitos próprios.

“Nós temos que separar professores de sindicatos. Esse sindicato que diz representar os professores está manipulando e politizando em cima de um tema tão sensível como a vida das pessoas. A Prefeitura já vacinou 100% do quadro e continuamos vendo essa grande resistência. O sindicato coloca uma faca no pescoço da sociedade, está combalindo o futuro das nossas crianças e manipulando a cabeça de professores que querem voltar a trabalhar. E se a gente for esperar pelo prazo que eles estão pleiteando, iremos perder mais um ano”, afirmou.

De acordo com o vereador, o momento escolhido pela Prefeitura para a retomada é adequado e o empenho do prefeito Bruno Reis (DEM) na questão tem feito a diferença na hora do diálogo e da negociação com os setores da educação na cidade.

“A pandemia tem nos obrigado a trocar o pneu do carro com o carro em movimento. Estamos aprendendo após estar sofrendo, descobrindo a doença, descobrindo novas cepas, então tudo é uma grande surpresa o que nos traz uma responsabilidade ainda maior na hora de voltar com as aulas. O empenho do prefeito para que as aulas retornem mostra quão importante é esse tema para a cidade. O retorno das aulas representa não apenas a movimentação da economia e a manutenção do emprego de professores mas, principalmente, busca diminuir esse prejuízo que nossas crianças tem tido. Então eu entendo que esse é o momento adequado”, ponderou.

Ainda de acordo com Duda, a Câmara Municipal também está atenta ao assunto, participando de diversas reuniões com representantes da categoria e promovendo o debate público sobre a questão, já que, em sua visão, a retomada da educação na cidade é o pontapé inicial para que se possa falar no retorno de outros setores produtivos

“A participação da Câmara também é muito forte. Temos acompanhado e ouvido diversos grupos *e chamado essas classes para o diálogo mas sinto essa manipulação muito forte por parte do sindicato pois os professores querem voltar a trabalhar e enquanto a normalidade na educação não for alcançada, não podemos falar sobre a retomada de diversas outras atividades. Está em jogo toda a cadeia produtiva”, afirmou Duda Sanches. A Tarde