‘Desafio bom para carreira’, diz Samuel sobre substituir Léo Ceará

Atacante formado na base rubro-negra tem dois gols em seis jogos pelo profissional.

Ocupar a vaga deixada por Léo Ceará é um desafio. Afinal, o atacante foi o maior destaque do Vitória na temporada passada e, só pela Série B 2020, marcou 16 gols em 33 jogos – o que lhe rendeu a vice-artilharia do torneio. Mas, ao fim de seu contrato com o Leão, partiu rumo ao futebol japonês.

A posição de centroavante, então, vem sendo de Samuel, de 20 anos. E, se parece complicada a missão de preencher a vaga de um goleador, para o jovem, serve como um motivador.

“É uma oportunidade boa, um desafio bom para minha carreira. Léo Ceará é um excelente jogador, que dispensa comentários. Mas é um desafio bom para mim e espero poder agregar muito à equipe e poder suprir a ausência dele”, comemorou.

Samuel já vestiu a camisa da equipe principal do Vitória seis vezes – sendo cinco pela Série B – e marcou dois gols. O último deles aconteceu na quarta-feira passada (17), quando abriu o placar no empate por 3×3 com o Unirb, pela 1ª rodada do Campeonato Baiano. Também foi dele o gol que fechou a temporada 2020 do Leão, no triunfo por 1×0 sobre o Brasil de Pelotas, fora de casa, pela rodada final da segundona.

Desta forma, Samuel tem uma média de 0,33 gol por partida no profissional. É maior do que a de Jordy Caicedo, que, em 45 duelos, balançou as redes 9 vezes (0,2 gol por jogo). O equatoriano, aliás, conseguiu a rescisão contratual e fechou com o CSKA Sofia, da Bulgária.

O atacante de 20 anos também tem média maior do que Junior Viçosa, que deixou o Vitória sem anotar um gol sequer. Mas, ao menos por enquanto, é menor que a de Léo Ceará, que fechou a temporada 2020 com 20 gols em 42 duelos (média de 0,48). 

Destaque na base
Natural de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, Samuel é formado na base rubro-negra. Na temporada passada, chamou a atenção em competições de base e balançou a rede seis vezes pelo Campeonato Brasileiro Sub-20. Para ele, a chance de se tornar o centroavante do grupo principal era uma questão de tempo.

“Eu já vinha há um bom tempo esperando essa oportunidade, vinha trabalhando forte no sub-20. A oportunidade apareceu e eu tentei agarrar ela da melhor maneira possível”, disse.

Nesse início de temporada, o Vitória está recheado com atletas da base. Além de Samuel, o goleiro Yuri, o zagueiro Wallace, o meia Eduardo e o atacante David, todos formados pelo Leão, foram titulares contra o Unirb. Usar as pratas da casa é algo que o jovem centroavante crê que possa dar certo.

“O Vitória sempre teve esse DNA de revelar grandes atletas. Acho que essa geração que está vindo agora é muito boa, muito forte. Me incluo nela. Mas tem diversos jogadores em um crescente muito boa, que eram da base ano passado e agora estão inseridos no profissional. Acredito que, nesse ano, a gente pode ajudar muito. E, individualmente falando, espero contribuir muito para a equipe nessa temporada e ajudar bastante fazendo gols”.

Com o adiamento do jogo contra o Vitória da Conquista, por surto de covid-19 no Bode, o Vitória terá seu próximo compromisso na quarta-feira (24), às 19h30, contra o Atlético de Alagoinhas, no Carneirão. O duelo é válido pela 3ª rodada do Campeonato Baiano.

Para Samuel, a suspensão do confronto não é benéfica ao Leão. “O ideal seria ter a partida, já que nosso time precisa de um pouco mais de entrosamento com essa mescla que está tendo, da gente que é da base junto com os outros jogadores que vinham jogando no ano passado. O ideal seria ter o jogo, para aproveitarmos para entrosar mais a equipe para o decorrer do campeonato”, opinou.

Correios 24h

Deixe uma resposta