Dado lamenta derrota e fala sobre lance que originou gol: “Poderíamos ter evitado”

ogando dentro dos seus domínios, o Bahia perdeu uma grande oportunidade de respirar mais tranquilo nesta reta final do Campeonato Brasileiro da Série A. Em uma partida de muita expiração e pouca inspiração, o Tricolor foi derrotado pelo Fluminense, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, 3, e pode entrar na zona de rebaixamento ainda nesta 34° rodada.

Substituto de Douglas, vetado pelo Departamento Médico para o duelo, por conta do choque com Leandro Castán na última rodada, o goleiro Anderson foi mais uma vez um dos personagens negativos de uma partida do Esquadrão, em falha que originou o único gol do jogo.

Questionado sobre o lance, o técnico Dado Cavalcanti, em entrevista coletiva após a partida, falou sobre o 55° gol sofrido pela equipe em 34 jogos do campeonato.

“Errar nunca é uma orientação. Uma das coisas que eu sempre defendi em relação a minha ideia e ao jogo é fazer essa proposição, articulando jogadas de trás até à frente. Hoje tivemos uma precipitação, também poderíamos ter evitado o gol do rival, infelizmente não aconteceu”, lamentou.

Sem ameaçar a meta do Fluminense no início da primeira etapa, o Esquadrão só levou perigo ao gol de Marcos Felipe após sofrer um gol anulado pela arbitragem, em impedimento do atacante Fred. Avaliando o desempenho do time, Dado lamentou a falta de ofensividade do Tricolor baiano.

“Nosso time não teve muita profundidade e isso comprometeu na chegada à frente. Isso foi um fator determinante para o resultado final. Só conseguimos entrar no jogo após uma pressão exercida pelo adversário. Não conseguimos sair da pressão com qualidade, o que é um ponto forte nosso. Demoramos muito para reagir e isso foi fatal para definição do resultado. O adversário conseguiu fazer o seu gol e controlar a partida até o final”, pontuou.

Próximo adversário

Com outra partida em casa, desta vez contra o Goiás, o Esquadrão terá, mais uma vez, a oportunidade de vencer um adversário direto na luta contra o descenso, neste sábado, 6, às 19h, na Arena Fonte Nova. Ainda sem saber se poderá contar com o seu principal jogador, o meia Índio Ramirez, que deixou a partida com dores e será avaliado, o treinador ressaltou que o clube permanece vivo na competição.

“Desde a minha primeira entrevista coletiva, venho batendo na tecla sobre mobilização. Sobre colocar tudo o que temos a nossa disposição. É esse o grupo, é essa comissão, são essas pessoas que vão tirar o clube dessa situação que ele está. Sem ficar olhando para trás, sem ficar lamentando ou fazendo qualquer tipo de associação sobre o que aconteceu anteriormente. Estamos passando por dificuldades, mas estamos bem vivos e espero que tudo dê certo no final”, finalizou. A Tarde

Deixe uma resposta