Dado fala em necessidade de mudanças, mas pede calma: “Não podemos nos desesperar”

A estreia de Dado Cavalcanti no comando técnico da equipe principal do Bahia não foi como o desejado. Dentro de seus domínios, o Tricolor perdeu para o Internacional neste domingo, 27, e chegou na sexta derrota consecutiva no Brasileirão e o oitavo jogo sem triunfo na atual temporada, somando com as partidas pela Copa Sul-Americana.

Em coletiva de imprensa realizada após a partida, o treinador do Esquadrão falou sobre a necessidade de mudanças na equipe, principalmente no setor defensivo. Nessas últimas seis derrotas pelo Brasileirão, o Tricolor sofreu 18 gols, uma média equivalente a três gols sofridos por partida.

“Para o jogo de hoje, eu estava bem limitado em relação a escolhas. Teremos um intervalo de dias importante para os próximos dois jogos. Acho isso importante para fazer ajustes, correções, testar, quem sabe, formações diferentes. Mas não podemos também nos desesperar e sair trocando todas as peças possíveis, porque não necessariamente a troca de peças vai trazer o efeito esperado”, explicou o treinador.

Com relação a avaliação de um Bahia “apático”, Dado discorda dessa classificação. Para ele, a equipe teve um bom início de jogo na Fonte Nova, mas acabou pecando na hora de concluir as jogadas. Além disso, o técnico inda falou sobre a possibilidade de utilizaçao de jogadores da categoria de base nos jogos.

“Discordo quando se fala de apatia, porque nosso início de jogo foi bom. Tivemos duas boas bolas antes de tomarmos o gol no final do primeiro tempo. Roubamos mais bolas à frente. Era uma das minhas iniciativas em relação às modificações que foram feitas, fazer com que a gente recuperasse um pouco mais as bolas na frente, como aconteceu com Gregore, Gilberto, Ramírez. Escapamos em velocidade para o ataque, mas, infelizmente, não fomos tão cirúrgicos na finalização, que poderia trazer um desenho totalmente diferente. Em relação às trocas, uso da base, já deixei claro que pretendo utilizar alguns jogadores da base, esperando a definição da Copa do Brasil Sub-20. Quem sabe, no próximo jogo, já tenhamos alguns atletas junto com o elenco”, revelou Dado Cavalcanti.

Com relação a algumas participações individuais, o treinador elogiou bastante as atuações de Gregore e Ramirez no setor de meio-campo. Com a impossibilidade de contar com Ramon, Daniel e Rodriguinho, o volante trouxe já essa “agressividade, um gatilho de pressão à frente”, enquanto o colombiano terminou sendo “o cara da última bola”, colocando os companheiros uma condição de gol.

Por fim, o técnico ainda falou sobre a necessidade do time voltar a vencer na competição. Atualmente, o Tricolor é o primeiro time fora da zona de rebaixamento, mas com a mesma pontuação do Vasco, primeiro dentro do Z-4. A distância entre as duas equipes é de apenas um triunfo para o Esquadrão, sendo que o Cruz-Maltino ainda tem um jogo a menos.

“Temos que voltar a vencer rapidamente. Voltando a vencer, a gente volta para o campeonato, levanta a autoestima. Mas a gente sabe que o triunfo é uma consequência. Não pode ser apenas causa. O tempo de treinamento vai ser favorável para que a gente consiga fazer ajustes, para que a gente consiga fazer as correções do que aconteceu. Até porque meu ponto de partida é esse. E, a partir daqui, eu pretendo buscar evoluções na nossa equipe. Que a gente consiga buscar o resultado que nos falta”, concluiu. A Tarde

Deixe uma resposta