Covid-19: país deve fabricar princípio ativo da vacina no 2º semestre

Ingrediente Farmacêutico Ativo é atualmente importado da China.

O futuro ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que políticas de distanciamento social e a melhora no atendimento aos pacientes infectados pelo novo coronavírus devem se refletir, em breve, na diminuição das mortes pela doença registradas no país. As afirmações foram feitas nesta quarta-feira, no Rio, durante a cerimônia de entrega das primeiras 500 mil doses da vacina contra a covid-19 produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz.

O cardiologista, que ainda não foi oficialmente nomeado, fez um apelo aos brasileiros para que evitem o que chamou de “aglomerações fúteis”. Na avaliação de Queiroga, é preciso união nacional no combate à pandemia.

A cerimônia de entrega das vacinas na Fiocruz contou com a presença do atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Ele garantiu que a estrutura para a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo no Brasil, atualmente importado da China, está pronta.

foto reprodução

Pazuello previu que, a partir de maio, serão feitos os testes para validar essa produção e, no segundo semestre, o país já deverá se tornar autossuficiente na fabricação do imunizante contra o coronavírus. Agência Brasil