COMISSÃO DOS DIREITOS DA MULHER DEBATE VIOLÊNCIA E FEMINICÍDIO EM SIMÕES FILHO

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×

Mais de 300 pessoas participaram ontem (25), em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, da 2ª audiência itinerante da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia, que discutiu o tema “Violência contra a Mulher, Feminicídio e Políticas Públicas de Enfrentamento e Superação”. 
A presidente do colegiado, deputada Olívia Santana (PC do B), ficou feliz com a mobilização da cidade, que reuniu autoridades, vereadores, forças de segurança, representantes do Ministério Público e de órgãos ligados às mulheres “para travarem o bom debate, que é fortalecer ainda mais a rede de enfrentamento à violência contra a mulher na Bahia”. 
A comunista ressaltou a importância das reuniões itinerantes, afirmando que a comissão está indo ao encontro das mulheres com a pauta de enfrentamento. A parlamentar entende que é preciso criar uma consciência coletiva da população, de modo que “a gente consiga reduzir os crimes de violência contra a mulher e o machismo letal, que é o crime de feminicídio”. 
Anfitriã do encontro, a deputada Kátia Oliveira (MDB) disse que era uma honra muito grande para Simões Filho receber pela primeira vez em sua história um colegiado do Legislativo baiano. Membro titular da Comissão de Direitos da Mulher, Kátia fez questão de elogiar o prefeito Diógenes Tolentino (MDB) pela criação da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, a implantação do Conselho Municipal das Mulheres e a inauguração do Centro de Referência de Atendimento à Mulher. 
A emedebista falou que é necessário a sociedade se unir e se levantar em favor da mulher, “porque a situação de agressões e crimes é muito grave”. Depois das recentes conquistas no âmbito local, a deputada destacou que falta à cidade uma Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher. Kátia informa que já protocolou na ALBA uma indicação ao governador Rui Costa para a instalação de uma Deam. 

A audiência pública em Simões Filho também contou com a presença do deputado estadual Jurailton Santos (PRB), que teve uma expressiva votação no município na última eleição. O parlamentar se mostrou satisfeito em participar da sessão para debater uma das mais importantes questões da atualidade, por conta da violência desenfreada contra a mulher. O republicano garante ser um defensor da causa das mulheres, “já tendo inclusive um projeto de lei nesse sentido tramitando na Assembleia”. 

MARIA DA PENHA

O público, que lotou a galeria e o plenário da Câmara Municipal de Vereadores, acompanhou uma palestra da subcomandante da Ronda Maria da Penha, capitã PM Alcilene Coutinho. A militar, de forma didática e interagindo com as mulheres, discorreu sobre diversos aspectos da violência contra a mulher. Alcilene incentiva o trabalho em equipe, “pois a atuação conjunta de múltiplas mãos pode trazer resultados práticos, fazendo a diferença nas estatísticas dos crimes”. 
Essa convicção da capitã revela uma realidade cruel no município. Segundo o Atlas da Violência, divulgado em julho de 2018, Simões Filho é a 3ª cidade que mais mata no Brasil. Esse estudo foi elaborado pelo Ipea e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com base nos dados de 2016 do Sistema de Informações sobre a Mortalidade do Ministério da Saúde.  
Olívia Santana reforçou a necessidade da continuidade da luta para ampliar a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. A presidente do colegiado adiantou que a bancada feminina da Assembleia Legislativa vai realizar audiências públicas itinerantes em todos os territórios de identidade da Bahia. Depois de Simões Filho, a programação prossegue no dia 3 de maio, em Mucugê, na Chapada Diamantina. Alba

Deixe uma resposta

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×