Com recorde de infecções, Japão amplia restrições contra a Covid-19

Metade da população japonesa será submetida a aumento de restrições por causa do aumento de casos da variante Ômicron do coronavírus.

Japão ampliou nesta quarta-feira (19) as restrições contra a Covid-19 na capital Tóquio e em uma dezena de regiões, o que abrange a metade da população do país. A medida é tomada enquanto a variante Ômicron do coronavírus provoca um recorde de novas infecções.

Já em vigor em três regiões, as medidas, que devem durar da próxima sexta-feira (21) até o dia 13 de fevereiro, foram oficializadas pelo primeiro-ministro, Fumio Kishida, após uma reunião com especialistas no início do dia.

“Estamos batalhando contra um vírus desconhecido, e espero que possamos superar essa situação com ação suficiente e sem medo excessivo”, disse Kishida.

As medidas “quase emergenciais”, como são chamadas, permitem que governadores limitem a mobilidade e as atividades de empresas, encurtando horários de operações de bares e restaurantes, e barrando as vendas de álcool.

“Embora as medidas não sejam tão eficientes como quando os números são menores, eu acredito que elas ainda possam mitigar as coisas”, disse Gautam Deshpande, médico do Hospital Internacional St. Luke, em Tóquio.

O Japão registrou mais de 32 mil novas infecções pela Covid-19 na terça-feira (18), segundo a rede NHK, superando a máxima de agosto, quando Tóquio recebeu os Jogos Olímpicos.

A capital japonesa estabeleceu um recorde diário na quarta-feira com 7.377 novas infecções, assim como a região de Osaka, com 6.101.

O país registrou um total de casos de 1.924.937 e de 18.436 mortes na pandemia.

Embora a Ômicron seja mais infecciosa que variantes anteriores, ela parece causar doenças menos graves, mas especialistas em saúde pública ainda se preocupam com uma possível sobrecarga sobre os sistemas de saúde diante de um aumento exponencial de casos.

  • 1 de 16Filas para testes da Covid-19 chegam a até três horas de espera em Barcelona, na EspanhaCrédito: David Zorrakino/Europa Press via Getty Images

O Japão declarou estados de emergência quatro vezes durante a pandemia, e vacinou cerca de 80% dos 126 milhões de habitantes. As doses de reforço, porém, chegaram a apenas 1,2% da população.

As autoridades “arrastaram seus pés com as doses de reforço”, acrescentou Deshpande.

O Japão aplicou restrições quase emergenciais neste mês em três regiões que possuem instalações militares dos Estados Unidos, depois que surtos da doença nas bases parecem ter transbordado para comunidades ao redor.

A taxa de ocupação de leitos hospitalares para pacientes da Covid-19 em Tóquio subiu para 25,9% na quarta-feira, segundo as autoridades da cidade.

Um aumento para 50% pode levar a aplicação de um estado total de emergência, afirmaram autoridades. CNN

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: