Caso Jaguaripe: Delegado aponta 5 suspeitos na morte de amigo de dono de pousada de luxo

Foto: Reprodução/Redes Sociais 

O delegado responsável pelo caso, Rafael Magalhães, conversou, nesta quarta-feira (9), com o Balanço Geral-BA sobre a morte do dono de pousada.

Presos no ano passado após condenação por roubo e extorsão contra uma mulher em maio de 2001, o casal de empresários Leandro Silva Troesch e Shirley da Silva Figueiredo, virou protagonista de uma nova novela criminal: Shirley é uma das suspeitas de participação na morte de Leandro, no último dia 25. Vale ressaltar que o caso cresceu ainda mais após a morte de um homem identificado como Marcel, o Billy, que foi assassinado na véspera de prestar depoimento para o delegado responsável pelo caso, Rafael Magalhães. Para o delegado, a suspeita é que cinco pessoas estão envolvidas no assassinato, incluindo a companheira de Marcel, e seu irmão.

Shirley é considerada foragida pela justiça. Ela teve um pedido de prisão determinado pelo juiz titular Almir Pereira de Jesus, da 1ª Vara de Execuções Penais de Salvador, que atendeu um pedido de liminar feito pelo delegado do caso.

Em entrevista ao Balanço Geral, da TV Itapuan, o delegado afirmou que já sabe o paradeiro de Shirley: ela provavelmente está foragida junto a uma das lideranças do Presídio Feminino em Salvador, Maqueila Santos Bastos, presa por estelionato. As duas se conheceram na unidade prisional. Maqueila responde a mais de 10 processos, totalizando mais de 30 inquéritos, segundo Rafael Magalhães.

Segundo a polícia, Leandro não queria que Maqueila ficasse na pousada que tinha em sociedade com a esposa. A morte dele aconteceu dez dias após a expulsão dela do local. Shirley alegou em depoimento que o caso era um suicídio.

“Já houve avanço, temos conhecimento de onde elas se encontram. Estou em contato com a Polinter e com certeza vamos conseguir prendê-las para que esclareçam os fatos”, disse o delegado.

De acordo com a Polícia Militar, Leandro estava caído e com o ferimento provocado por tiro dentro da pousada do casal, a Paraíso Perdido, em Jaguaripe, no Recôncavo Baiano. A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte do empresário.

Na oportunidade, o delegado informou ainda que existe um mistério rondando a morte do empresário após a fuga de Shirley e a morte de Marcel na segunda-feira (7). “O que mais me intriga é a morte desse rapaz que era minha principal testemunha e peça chave da investigação”.

Segundo o delegado, a companheira de Marcel também prestou depoimento à polícia e apontou uma pessoa como autora do crime. No decorrer das investigações, o delegado descobriu que a testemunha participou do crime. Leandro e Marcel tornaram-se amigos recentemente quando cumpriram pena juntos em Salvador.

A hipótese da polícia é que ela atraiu Marcel para casa, drogou o companheiro após terem relações sexuais e, logo depois ele foi arrastado sem roupas para fora de casa, onde foi baleado, agredido com socos e esfaqueado até a morte.

“De acordo com a perita, ele ainda tomou vários murros e 7 facadas com uma peixeira. Mandei fazer o exame toxicológicos porque ela tem suspeita que ele tomou boa noite cinderela”, afirmou o delegado. Bocão News

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: