Bruno Reis acredita que BRT pode começar a funcionar em junho do ano que vem

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, afirmou ao Informe Baiano nesta sexta-feira (04/06) que a expectativa é que o BRT comece a operar em junho do ano que vem. Porém, pontuou que há alguns fatores que podem alterar o cronograma.

Conforme Bruno, o trecho 1 já está com 99,9% das obras concluídas e faltam somente as estações. Além disso, o trecho 3 está com o cronograma em 40% de execução.

“A previsão de conclusão é final desse ano e início do próximo. Aí já daria para colocar o BRT para funcionar”, pontuou o prefeito ao acrescentar que a funcionalidade total só com o trecho 2.

“Nesse trecho do 1 e do 3, que é um trecho do Cidade Jardim irradiando por aquele novo centro comercial da cidade, que é toda região do Shopping da Bahia, Shopping Salvador e também Antônio Carlos Magalhães, tanto pela Orla como pela Pituba chegamos a Magalhães Neto, já daria para funcionar. Mas só teria funcionamento total com o trecho 2, que esse aí é o que nós tivemos autorização para iniciar a obra. E que a previsão dele é junho do ano que vem, mas aí depende de uma série de interfaces que ocorrem durante a execução, seja com a Embasa, seja com a Bahiagás, tem também a questão da chuva que pode impactar no cronograma”, explicou o prefeito.

Na quinta-feira (03/06), o gestor de Salvador esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, solicitou recursos, principalmente, para área de saúde. Em seguida, Reis e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, assinaram a Autorização de Início da Execução do Objeto (AIO) para a realização das obras do trecho 2 do BRT (Bus Rapid Transit). Os recursos são da ordem de R$215,2 milhões, com recursos do Orçamento Geral da União e contrapartida da administração municipal, através de financiamento com a Caixa. A cerimônia simbólica contou com as presenças do ministro da Cidadania, João Roma, e do deputado federal Márcio Marinho.

As obras do trecho 2 do BRT vão da Estação da Lapa ao Parque da Cidade. Além da implantação do corredor expresso para ônibus, de viadutos na Avenida Garibaldi e do elevado paralelo no Vale das Pedrinhas, serão construídas seis estações: Vasco da Gama, Ogunjá, HGE, Rio Vermelho, Vale das Pedrinhas e Cidade Jardim. A Estação da Lapa será reformulada para permitir que a operação do BRT ocorra de forma integrada ao metrô.

“O BRT é muito mais do que um sistema de transporte. É uma obra de mobilidade que vai beneficiar milhares de pessoas que circulam em nossa cidade”, declarou o prefeito.

Etapas – Um das mais importantes intervenções em mobilidade em realização na capital baiana, o Projeto de Corredores de Transporte Público Integrado de Salvador (BRT) possui extensão total de 9,6 km, entre a Estação da Lapa e a Ligação Iguatemi-Paralela (LIP), e foi dividida em três etapas. O trecho 1, que vai desde o Parque da Cidade até o Shopping da Bahia, já teve seus elevados concluídos e entregues ainda em 2020. Os complexos viários Félix Mendonça e João Gilberto, ambos na Avenida ACM, trouxeram mais fluidez ao trânsito de uma das regiões mais movimentadas da cidade.

No trecho 2, Serão construídos três elevados. Um deles ficará nas imediações do Vale das Pedrinhas, onde será implantada uma estação, a única elevada deste trecho. Um outro viaduto será construído na saída da Avenida Anita Garibaldi sentido Juracy Magalhães, eliminando o cruzamento com a Avenida Vasco da Gama e criando uma via expressa sentido Avenida Luís Viana (Paralela). O terceiro elevado será implantado na região da Rótula dos Barris, exclusivo para o BRT, ligando a Estação da Lapa e a Avenida Vasco da Gama.

O trecho 3 – um adicional de aproximadamente de 1,5 km, em obras – vai ligar também o Cidade Jardim ao Itaigara. Ao todo, a obra terá 12 estações. O plano operacional ainda está sendo definido pela Prefeitura. Informe baiano

Deixe uma resposta