Brasil registra criação de mais de 142 mil empregos formais em 2020

Um aumento de 0,37% em comparação ao ano de 2019.

No acumulado do ano de 2020, foram criadas, no Brasil, mais de 142 mil vagas de emprego formal em comparação com 2019. Já no mês de dezembro, o Brasil fechou mais de 67,9 mil vagas com carteira assinada. Tradicionalmente, dezembro é um mês de mais demissões que contratações devido à sazonalidade do mercado. Mesmo com perda de empregos, é o menor número de vagas fechadas para dezembro desde 1995.

Os dados foram divulgados nessa quinta-feira (28) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O ministro da Economia, Paulo Guedes, atribuiu os números, em parte, ao programa Emergencial de Preservação de Empregos, editado em abril e que permitiu a redução de salários e jornadas durante a pandemia.

O Brasil fechou o ano com um total de mais de 38,952 milhões de empregos com carteira assinada, um aumento de 0,37% em relação ao ano passado. O setor de serviços foi o único de 2020 que fechou mais vagas do que abriu, com um saldo negativo de mais de 132 mil postos de trabalho fechados. Por outro lado, a Construção Civil criou 112 mil novas vagas, a Indústria 95 mil, a agricultura, 61 mil, e o comércio, 8 mil novas vagas, sempre comparando 2020 com 2019.

Das cinco regiões brasileiras, só o Sudeste perdeu vagas de trabalho em 2020 puxado pelo Rio de Janeiro, que, sozinho, fechou mais de 127 mil postos com carteira assinada no ano passado.

Das mais de 142 mil novas vagas criadas no ano passado, pouco mais da metade, ou seja, 73 mil, foram vagas de trabalho intermitente, modalidade criada com a reforma trabalhista onde não há uma jornada fixa. Já o salário médio na hora da contratação em 2020, em todo o território nacional, ficou em R$ 1.777, 3,65% a mais que a média salarial de 2019, mas abaixo da inflação prevista pelo mercado para este ano, que ficou em 4,21% segundo o IPCA. Agência Brasil

Deixe uma resposta