Biden diz que anúncios de Bolsonaro na Cúpula do Clima são ‘notícias encorajadoras’

Ao fazer balanço da Cúpula do Clima, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta 6ª feira (23.abr.2021) que os anúncios feitos pelo presidente Jair Bolsonaro na 5ª feira (22.abr) durante seu discurso no evento foram “notícias encorajadoras”.

Ouvimos notícias encorajadoras nos anúncios de Argentina, Brasil, África do Sul e Coreia do Sul”, disse o líder norte-americano.

O mandatário brasileiro se comprometeu a reduzir em 37% a emissão de gases de efeito estufa até 2025 e 47% até 2030. Prometeu ainda “neutralidade climática” até 2050. Bolsonaro prometeu “neutralidade climática” até 2050, antecipando em 10 anos a sinalização anterior.

Bolsonaro disse ainda que vai dobrar o orçamento para fiscalização ambiental e zerar o desmatamento ilegal, mas pediu apoio internacional e “justa remuneração pelos serviços ambientais executados pelo Brasil.

É preciso haver justa remuneração pelos serviços ambientais prestados por nossos biomas ao planeta, como forma de reconhecer o caráter econômico das atividades de conservação”, disse.

Joe Biden, que foi o anfitrião do encontro de líderes sobre o clima, não acompanhou ao vivo a fala de Bolsonaro. Ele saiu minutos antes da fala do líder brasileiro, que foi o 17º a falar. Não escutou o presidente do Brasil nem o da Argentina.

O aceno de Biden ao governo brasileiro nesta 6ª feira (22.abr), no entanto, não deve ser visto como um triunfo pelo Planalto. Biden fez mais afagos a nações que assumiram compromissos mais contundentes. O presidente norte-americano destacou as “metas ambiciosas” anunciadas por 2 de seus maiores aliados, o Japão e o Canadá, que se comprometeram a cortar suas emissões de gases causadores do efeito estufa em 50%, em comparação com os níveis de 2013, e 45%, em comparação com os níveis de 2005, respectivamente.

““Essas metas vieram da demonstração de liderança da União Europeia e do Reino Unido. Assim, metade da economia do planeta está comprometida a limitar o aquecimento global a 1,5oC”, disse Biden, referindo-se à mudança de temperatura máxima para que se evite um cataclisma.

No discurso de encerramento, o chefe do Executivo dos EUA destacou ainda que é “um imperativo moral” os líderes globais atuarem juntos para combater a crise climática. “Agradeço aos participantes da Cúpula por atacar esta crise antes que seja tarde demais“, disse.

Repercussão da fala de Bolsonaro

O discurso de Bolsonaro foi elogiado por seus aliados, que defenderam que o Brasil tem uma política dura de combate ao desmatamento.

Antecedendo a reunião de líderes, a expectativa do empresários brasileiros era de que o Brasil se comprometesse com medidas mais ambiciosas. Entretanto, o grupo já pensava em ações de “contenção de danos” para minimizar possíveis efeitos negativos que a política brasileira possa causar na relação com outros países. Poder360 – © Adam Schultz/White House 

Deixe uma resposta