Bellintani anuncia encerramento do projeto do time de transição

O gestor tricolor ainda disse que os salários de atletas e funcionários estão em dia – Foto: Rafael Machaddo | EC Bahia.

A informação foi confirmada pelo presidente, em coletiva de apresentação do planejamento de 2022.

O Bahia não contará mais com o time de aspirantes. Presença garantida durante os últimos dois estaduais disputados pelo Esquadrão de Aço, a equipe de transição irá ser unificada ao plantel profissional a partir de fevereiro. 

A informação foi confirmada pelo presidente do clube, Guilherme Bellintani, nesta quarta-feira, 5, durante a coletiva de apresentação do planejamento do ano. Segundo o mandatário, a decisão foi motivada pela redução do número de competições disputadas pelo Bahia, que não terá mais a Copa Sul-Americana. 

“Com a redução do número de competições, nossa decisão é não trabalhar mais com dois times diferentes. Durante janeiro, haverá o período de unificação.  A partir de fevereiro, haverá um único grupo trabalhando sob liderança de Guto Ferreira. Nosso treinador sub-23, Bruno Lopes, passa a ocupar o cargo de auxiliar fixo da casa. Cargo que antes era ocupado por Cláudio Prates e estava vago desde então”, explicou Bellintani. 

Sobre como vai funcionar o processo de dissolução do elenco de transição, Bellintani afirmou que Bruno Lopes seguirá a frente do grupo durante o mês de janeiro, uma vez que o time já vinha trabalhando desde o fim do ano passado. 

“Os primeiros jogos do Baiano serão comandados por Bruno, o time que vai a campo será em maioria do projeto de transição. Vamos começar o Baiano com o time de transição por eles estarem treinando desde o início de dezembro”, acrescentou o presidente. 

Com relação ao elenco principal e as várias saídas que tem sido anunciadas para adequação da realidade financeira do clube após o rebaixamento à Série B, Bellintani disse que as saídas previstas para ocorrer, já foram anunciadas. No entanto, pode ser que ainda haja mais negociações de atletas. 

“Todos os jogadores que tem contrato com o clube seguirão trabalhando conosco. E temos disponibilidade para conversarmos com o mercado, com outros clubes, para fazer negócios e liberações a partir do contratos que temos. Ainda não temos nenhuma definição sobre saída de atletas, a não ser aquelas que já foram divulgadas”, pontuou o gestor. 

Montagem do elenco

Já com relação a chegada de novos jogadores, Bellintani afirmou que esse não é o objetivo principal do clube no momento. Apesar de já ter anunciado quatro nomes, o presidente garantiu que o planejamento é enxugar o plantel para a próxima temporada.

Para a temporada, o Conselho Deliberativo do clube projetou um orçamento com uma redução de quase R$ 80 milhões do que foi planejado na temporada anterior. Mesmo com a possível redução brusca, o mandatário tricolor disse que existem conversas, mas ratificou que não estão como prioridades. 

“A gente não vai falar muito em reforços nesse momento. Existem conversas, mas nosso objetivo principal é ajustar o tamanho do elenco, com algumas saídas que precisam acontecer. Depois disso, vamos com toda cautela e cuidado, para novas contratações. Temos um elenco hoje que é maior do que precisamos ter em 2022. Nosso movimento central não é de buscar atletas, é de adequar o elenco”, pontuou Bellintani. 

Atrasos salariais

Bellintani chegou a declarar ao longo de 2021 que esperava concluir o ano com os salários de funcionários e jogadores em dia. Mesmo com o rebaixamento à Série B, que culminou em reajustes orçamentários, o presidente disse que o objetivo foi cumprido e os vencimentos estão em dia, mas com algumas ressalvas. 

“O Bahia está com salário em dia, com exceção do 13º de 2021. E em relação a seis atletas que tinhamos negociações referentes ao ano passado e esses valores precisam ser renegociados. Perdemos R$ 10 milhões somente pelo fato de cair para a Série B. Caiu o clube e os jogadores, então a responsabilidade é compartilhada com todos. Vamos tratar as dificuldades financeiras com absoluta transparência […] Continuamos devemos valores relativos a 2020, da suspensão da pandemia, para seis atletas. Vamos renegocias com cada um entendendo que a projeção de 2021 não foi alcançada. Se todos nós caímos, cada um responde pela renegociação sem afetar o plajemaneto financeiro. O que posso dizer é que atualmente todos os salários de funcionários e jogadores estão em dia, salvo essas exceções que falei”

Busca por executivo de futebol

No dia seguinte ao rebaixamento do clube, o Bahia anunciou o desligamento do executivo de futebol Lucas Drubscky e do gerente Júnior Chávare. Desde então, o clube se encontra sem um profissional específico à frente do futebol. 

Mesmo assim, a diretoria foi ao mercado e acertou com reforços para a temporada 2022. Questionado sobre a situação, Bellintani garantiu que todo o departamento está mobilizado para ajudar na contratação de jogadores e ainda disse que segue buscando um profissional no mercado. 

“Desde o dia 10, há apenas 25 dias, estamos buscando a reposição de um ou dois profissionais para ocupar os cargos […] Enquanto isso, todo o departamento de futebol do clube está mobilizado para contratar jogadores. Toda as decisões são sempre compartilhadas e colegiadas. E vão seguir assim enquanto não tiver a presença de um gestor de futebol. Temos uma comissão técnica com nível de Série A, mas que conhece muito de Série B. Com histórico de sucesso e acessos”, concluiu. A Tarde

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: