Transporte público e bancos terão funcionamento prejudicado em Salvador e RMS na sexta (14)

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×
Categorias aderiram à paralisação nacional contra a reforma da Previdência; CCR garante a operação do metrô e Semob monta estratégia para manter os coletivos.

Os transportes públicos e os bancos terão o funcionamento prejudicado em Salvador e região metropolitana (RMS) nesta sexta-feira (14), de acordo com os sindicatos das categorias. Os rodoviários, operadores dos sistemas metroviário e ferroviário e bancários aderiram à paralisação nacional contra a reforma da Previdência.

Ônibus

O vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Fabio Primo, garantiu ao bahia.ba, na última terça-feira (11), que os ônibus não irão rodar na capital baiana e região metropolitana. Com a greve, serão mais de 21 mil rodoviários parados. O portal procurou o sindicalista para confirmar a paralisação, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

O secretário de Mobilidade e Urbanismo, Fábio Mota, informou à reportagem que está fechando estratégias para garantir o transporte público aos cidadãos. De acordo com ele, a situação será esclarecida ainda na tarde desta quinta-feira (13).  

Metrô e trens do Subúrbio

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Ferroviário e Metroviário dos Estados da Bahia e Sergipe (Sindiferro) já havia informado, em nota, que os operadores do metrô e dos trens do Subúrbio vão aderir à paralisação nacional.

A adesão dos trabalhadores da CCR ao movimento foi definida desde o mês de maio. A categoria votou a favor da greve geral em assembleia.

Procurado pela reportagem para obter atualizações da manifestação e entender qual o diálogo com a CCR, o sindicato não retornou aos nossos contatos.

No entanto, de acordo com a CCR, o metrô vai operar normalmente, das 5h à meia-noite. Em nota, a concessionária informou que, para garantir o serviço de transporte aos passageiros, “estão sendo adotadas todas as medidas judiciais e empresariais necessárias”.

Os metroviários irão aderir à greve em apoio à educação e contra a reforma da Previdência, além de reivindicar o reajuste salarial de 15%. 

Bancários

O Sindicato dos Bancários da Bahia também confirmou a adesão à paralisação. De acordo com o diretor do sindicato Jovelino Souza, a categoria fará greve durante todo o dia nas agências e, à tarde, a partir das 15h, uma passeata sairá do Campo Grande.

O diretor informou  que, nesta quinta-feira (13), será realizada uma assembleia com a categoria para organizar as manifestações desta sexta. O encontro está previsto para as 17h30.

Segundo o sindicato, “o terreno é propício para construir um forte movimento contra os retrocessos”. bahia.ba

Deixe uma resposta

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×