Docentes seguem em passeata para casa de relator da reforma da Previdência

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×

Um grupo de professores municipais e estaduais protestam nesta sexta-feira, 24, no Caminho das Árvores, em Salvador, contra a Reforma da Previdência. Com faixas com dizeres contra a mudança no INSS e pedindo a saída do presidente Michel Temer (PMDB), os docentes seguem em caminhada em direção a rua da Graviola, onde o deputado federal Arthur Maia (PPS-BA) tem residência.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Professores na Bahia (APLB-BA), Rui Oliveira, a manifestação tem o objetivo de mostrar a insatisfação dos trabalhadores e poder de mobilização da categoria para o relator do projeto de Reforma da Previdência.

Entre 100 e 150 docentes participam do protesto, de acordo com a Polícia Militar da Bahia (PM), o que deixa o trânsito congestionado na região. O grupo saiu da Avenida ACM, uma das mais movimentadas da cidade, em direção a residência do parlamentar.

Insatisfação

A professora de português Ieda Gouveia, de 47 anos, disse que “se sente roubada e lesada com a reforma”. Ela, que tem 25 anos de magistério, explica que faltam dois anos para se aposentar e com as mudanças calcula que terá que trabalhar mais 16 anos. Por isso, ela “protesta para que essa reforma não se concretize”.

Sua colega Elisângela Souza, de 39 anos, sendo 11 em sala de aula, também critica a proposta de mudança da Previdência. “Querem subtrair nossos direitos, nossas expectativas de vida e projetos que a gente tinha para o futuro”, reclama.

Rui Oliveira destaca que essa luta não deve ser restrita aos professores. “Toda população precisa se alertar e se mobilizar”. Segundo ele, docentes e trabalhadores de outras categorias pretendem fazer uma greve geral no dia 31 de março.

Os professores, que participaram de movimento semelhante no último dia 15, seguem parados até o dia 27, quando voltam as salas de aula. A Tarde

www.facebook.com/aplbsindicatoba/videos/1667637670205488/

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×