Cirurgias plásticas podem causar problemas na coluna; saiba mais

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×

Em alta no mundo todo, a cirurgia plástica está cada vez mais presente na vida das pessoas. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o Brasil é o segundo pais do mundo que mais faz intervenções na área. Para fazer uma correção ou até mesmo mudar algo indesejado no corpo, o número de adeptos não para. O que muitos pacientes desconhecem é que alguns problemas na coluna (se não for realizada uma reeducação postural corporal no pós-operatório), acontecem em decorrência das cirurgias.

Segundo o fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRColuna) e diretor do ITC Vertebral Ribeirão Preto, os incômodos ocorrem com pacientes que implantaram próteses mamárias de silicone e que se submeteram a abdominoplastias (plástica abdominal). “O desconforto é causado pelo sobrepeso da mama, no caso do silicone, e pelas cicatrizes, na abdominoplastia, que induzem a uma autoproteção corporal normal após a cirurgia. O resguardo do corpo pode desencadear em um desequilíbrio postural, que, se não for tratado, poderá se transformar em cervicalgias e lombalgias ou até evoluir para uma hérnia de disco no futuro”, explica.

Martins conta que a principal queixa dos pacientes é em relação ao desconforto nas costas e no pescoço. “As dores começam depois de alguns meses, quando o pós-operatório já passou. As próteses de silicone nas mamas e a cirurgias abdominais melhoram a estética e a autoestima, mas podem ser prejudiciais se não houver orientação de um fisioterapeuta”, comenta o especialista.

Os incômodos das próteses de silicone surgem devido a incapacidade do paciente poder dormir e até mesmo se sentar em uma postura adequada. Após o procedimento, recomenda-se que ele fique por alguns dias sem causar pressão sobre a prótese, para não ocorrer deslocamento das mamas.

Outra queixa comum é que após a plástica, alguns pacientes dizem que uma mama está maior que a outra. “Na maioria das vezes, o problema não tem origem nas dimensões da prótese e sim em um desvio lateral da coluna denominado escoliose, que já existia antes mesmo da cirurgia. O que acontece é que se torna mais evidente com o aumento ou diminuição nas dimensões dos seios”, finaliza Martins.

Voz da Bahia

0 Flares Facebook 0 0 Flares ×